quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

O adeus à Champions

Começo por uma referência o post anterior:

 "Esta época estamos num grupo bastante equilibrado com Zenit, Bayer Leverkusen e Monaco. Tanto podemos ficar em 1º como em 4º, porém há que lutar pela qualificação para os 1/8 da Champions League."

Era de facto um grupo bastante equilibrado. Um exemplo desse equilibrio foi o Benfica ter perdido os 2 jogos com o Zenit que ficou em 3º e ter feito 4 pontos com o MOnaco que ficou em 1º.

Neste último jogo onde a nossa classificação já estava decidida (4º lugar), Jorge Jesus decidiu e bem rodar a equipa e colocar em campo uma equipa de "suplentes" de modo a poupar os jogadores "titulares" para os próximos jogos, especialmente o próximo jogo de Domingo contra o Porto que também vai poupar vários "titulares" contra o Shaktar pois também já tem a sua classificação garantida (1º lugar).

A resposta dos "suplentes" contra o Leverkusen foi bastante positiva. Jorge Jesus queria "ganhar" jogadores para o resto da ]epoca e de facto praticamente todos os jogadores mostraram neste jogo que "contam para o totobola".

Artur fez 2 boas defesas mas a intranqulidade continua lá.

Na defesa, Almeida fez o habitual. Defende bem e não compromete a equipa. Tem perfeita noção das suas limitações, é um jogador inteligente e cumpre sempre bem quando chamado à equipa, além de que faz várias posições com bastante competência. Os centrais estiveram bem e é visível a enorme evolução de César e Lisandro, em especial de César em relação aos jogos da pré-época. Benito não esteve bem neste jogo pelo que Almeida continuará dono do lugar até que Sílvio regresse a 100%.

No meio campo Cristante esteve bem e Pizzi mostrou que quando Enzo sair o lugar será dele. Nas alas Tiago surpreendeu-me mas duvido que algum dia venha a ser importante no Benfica. É um Salvio fraco. Ola John tem imensa qualidade mas continua a faltar qualquer coisa para explodir.

No ataque Lima esteve bem em tudo, excepto na finalização. Na Champions não se pode falhar um golo feito como o que ele falhou. Derley esteve bem.

Quanto aos suplentes que entraram, Talisca não entrou muito bem e parece que sente falta do golo, algo que por vezes o impede de passar a bola a colegas mais bem posicionados. Nelson Oliveira entrou bem e surpreendeu-me pela decisão que tomouem vários lances. Partiu no início da época atrás de Lima, Talisca, Derley, Jonas e Jara mas neste momento já ultrapassou Jara. Tem que continuar a trabalhar. João Teixeira entrou bem no jogo, arancou um vermelho numa boa arrancada do meio campo mas abusou um puco dos passes longos. 

Foi a pior Champions na era Jorge Jesus. Agora é apostar tudo nas provas internas.

Carrega Benfica!!!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Champions League

O Benfica inica hoje a sua participação na Champions League.

Vai ser a 5ª particpação consecutiva com Jorge Jesus ao leme.

Em 2010/2011 num grupo constituído por Schalke 04, Lyon e Hapoel o Benfica classificou-se em 3º lugar com 6 pontos (7-12 em golos), seguindo depois para a Liga Europaonde foi eliminado na 1/2 final pelo Sporting de Braga.

Em 2011/2012 num grupo constituído por Manchester United, Basileia e Otelul o Benfica classificou-se em 1º lugar com 12 pontos (8-4 em golos). Nos 1/8 de final eliminámos o Zenit (4-3 em golos) e nos 1/4 de final fomos eliminados pelo Chelsea que viria a sagrar-se campeão europeu.

Em 2012/2013 num grupo constituído por Barcelona, Celtic e Spartak Moscovo, o Benfica classificou-se em 3 lugar com 8 pontos(5-5 em golos), seguindo para Liga Europa onde viria a perder na final em Amsterdam contra o Chelsea por 1-2.

Em 2013/2014 num grupo constituído por PSG, Oumpiakos e Anderlecht, o Benfica classificou-se em 3º lugar com 10 potnos (8-8 em golos) seguindo para a Liga Europa onde viria a perder na final em Turim contra o Sevilha através da marcação de grandes penalidades.

Em 4 épocas de Championstemos 3 3ºs lugares (acesso à Liga Europa) e uma qualificação para a fase seguinte da Champions.

Esta época estamos num grupo bastante equilibrado com Zenit, Bayer Leverkusen e Monaco. Tanto podemos ficar em 1º como em 4º, porém há que lutar pela qualificação para os 1/8 da Champions League.

A estreia é com o Zenit em casa e há que lutar pela vitória mas convém lembrar que o Zenit é aquela equipa que veio a Portugal buscar Witsel, Garay e Hulk, e que foi também buscar Javi Garcia ao City.

Carrega Benfica!!!

sábado, 6 de setembro de 2014

Em todo o lado: Carrega Benfica!

Estes farmacêuticos seguem o SL Benfica até onde for possível e o SL Benfica segue sempre estes farmacêuticos.

Até no US Open:
(segundo 10 do vídeo)
video

Para nós o SL Benfica é mais que um clube, é um modo de vida, uma ideia que representa os nossos valores e tudo aquilo que apoiamos. Levamo-lo connosco.

Se está bem feito está Benfica. Se sabe bem é Benfica. Se é bonito é Benfica. Se é agradável é Benfica.

Utilizamos o grito de "BENFICA" como saudação, como agradecimento, como expressão de felicidade. Respondemos a esta saudação com o grito "CAMPEÃO", que é a resposta natural a "BENFICA" ["CAMPEÃO"], ser campeão é mais que ganhar, é um estado de espírito e um modo de vida, no nosso coração o SL Benfica é sempre campeão. Um dia hei-de presenciar, a quando grito no estádio "BENFICA" todos os que me ouvem responderem "CAMPEÃO".

O meu Benfica representa tudo o que é bom e a luta do Bem contra o mal. O que representa o vosso Benfica?

CARREGA BENFICA!

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Mais 3 pontos


Nesta fase da época o mais importante é ir colhendo os importantes 3 pontos em disputa em cada jornada.

Jogando bem ou mal o importante é mesmo ir juntando 3 pontos. A qualidade de jogo virá por acréscimo ao longo da época.

Ontem mostrámos alguma qualidade de jogo na 1ª parte, porém na 2ª parte a qualidade descresceu, em grande parte devido à saída de Amorim por lesão.

Agora é vencer o próximo jogo em casa e ficar com 9 pontos antes da pausa para os jogos da selecções.

Carrega Benfica

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Crise instalada no Benfica!

Faz 10 horas que o Benfica não conquista um título.

A crise é demasiado evidente.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Fala-se que o Bebé vai vestir o Manto Sagrado

Rápido, alto, potente, explosivo no arranque, com um bom remate e boa capacidade de transporte de bola. De modo mais abrangente, é grande, é forte e tem técnica. Ainda assim falta qualquer coisa a Bebé. Provavelmente, falta-lhe jogar numa equipa com colegas de capacidade semelhante. Mas no Man Utd tinha-os e não vingou. Até tinha um treinador (Ferguson) que gostava de apostar em jovens talentos e os potenciava como ninguém (ou melhor, a par de JJ). Isto para dizer que parece que contratámos um jogador com potencial para ser um Cristiano Ronaldo! Ou um Nani? Ou pior, um Quaresma!!!
Se o que falta a Bebé for algo que não se resolve nos treinos ou nos jogos, aí teremos um Quaresma em potência e pouco haverá a fazer, não passará da cepa torta! Se, pelo contrário, for humilde, trabalhador e profissional e o que lhe falta são noções básicas de jogo ao nível tático, posicional e de tomada de decisão, então temos treinador para potenciar o extraordinário talento de Bebé e fazer dele uma referencia no ataque do Benfica. O futuro breve o dirá.


No que respeita às características do jogador, tem sido sempre um transportador de bola nas equipas em que tem passado. Normalmente pela ala esquerda para aproveitar o forte remate quando faz diagonais interiores. No Benfica não precisa de jogar nas alas porque jogadores rápidos e com muita técnica é o que não falta nas alas do Benfica. Será que Bebé vai ser o substituto que JJ andava à procura para o Tacuara (dando o benefício da dúvida a Derley)? No meu entender tem todas as característica para ser um excelente ponta de lança mas será que se adaptaria à posição? Será que corresponderia com golos às movimentações do jogo ofensivo do Benfica? Tem tudo para isso mas será...?

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Benfica 2014-15

Guarda Redes
Oblak (?)
Artur (?)
Paulo Lopes

Defesa Direito
Maxi
Sílvio (?)
Luís Felipe (?)

Defesa Esquerdo
Djavan
Benito

Defesa Central
Luisão
César
Jardel
Lisandro
Mitrovic (?)
Steven Vitória (?)
Sidnei (?)

Médio Defensivo
Fejsa
André Almeida
Dawidowicz (?)

Médio Centro
Enzo (?)
Amorim
Fariña (?)

Extremo
Gaitán (?)
Sulejmani
Candeias
Ola John
Salvio
Pizzi
Cavaleiro (?)

Avançado
Markovic
Djuricic
Bernardo Silva (?)

Ponta de Lança
Cardozo (?)
Lima
Funes Mori (?)
Friesenbichler (?)

  • GR - Espero que o Oblak não saia. Se sair temos que comprar outro de qualidade indiscutível. O Varela deve ser emprestado a um clube da 1ª divisão. É bom jogador, convém jogar com regularidade.
  • DD - Parece-me que o Luís Filipe é certo. Dizem que o Maxi pode sair mas também pode ser para não arriscar caso não consigam o Sílvio a um preço aceitável. Gostava que o Sílvio ficasse e não me importo que o Maxi saia pela idade que já tem, apesar de eu ser um grande fã da sua atitude em campo.
  • DE - Grande planeamento este ano, resta agora perceber melhor a qualidade dos jogadores!
  • DC - Deve ficar Luisão, César, Jardel e Lisandro o que a confirmar-se é um conjunto muito forte.
  • MD - Está na altura do André ganhar preponderância no meio campo onde atinge o máximo do seu potencial. A lesão do Fejsa e a jovem idade do polaco podem exigir a aquisição de outro jogador para esta posição. Provavelmente vão testar o polaco e só depois decidir se contratam mais alguém.
  • MC - Tenho pena que o Enzo saia, vamos perder muito mas parece ser certo. Amorim tem tudo para agarrar o lugar, é grande jogador e agora já suficientemente experiente. Se o Enzo sair precisamos de mais um, não sei se o Rúben Pinto (ou outro da equipa B) tem andamento para isto! Se o Fariña não servir temos que comprar um jogador que agarre o lugar de caras.
  • Ex - Temos muitos e bons, não tenho preocupações. O Ivan devia ser emprestado a uma equipa da 1ª divisão porque é bom e tem que jogar. Está na altura ideal de vendermos o Gaitán apesar de eu ser grande fã dele. Se ficar será novamente um dos melhores jogadores do nosso campeonato e uma mais valia para a Liga dos Campeões.
  • Av - Meti aqui o Marko porque jogar ele ou o Salvio à direita é perder talento. Têm que jogar em simultâneo e a melhor solução é esta. Se o Gaitán não ficar ainda pode jogar à esquerda mas acredito que rende mais atrás do PL. Djuricic pode confirmar-se este ano, tem muito talento e já deve estar adaptado. O Bernardo também tem muito talento mas duvido da capacidade física e das rotinas na posição visto que o JJ não usa um 10 clássico, teria que se conseguir adaptar. Devia jogar a Taça da Liga e um ou outro jogo que pudesse entrar no fim com o jogo resolvido ou então ser emprestado a uma equipa da 1ª divisão.
  • PL - O Cardozo deverá sair este ano. O Funes Mori tem alguns dos atributos do Tacuara mas é mais possante, mais rápido com e sem bola, mais móvel e tem melhor jogo de cabeça. O austríaco não conheço. Fala-se em comprar o Derley do Marítimo, parece-me uma boa opção tendo em conta a qualidade do jogador e o preço.
Em jeito de conclusão, só as posições de guarda redes e médio centro têm uma incerteza maior neste momento.
Quanto ao guarda redes, custa-me a acreditar que o Oblak saia. É muito novo e tem a oportunidade de ser indiscutível numa equipa que joga a Liga dos Campeões, seria um erro para ele arriscar a carreira neste momento, ainda para mais se fosse para o Valência que nem se qualificou para as competições europeias.
Quanto ao médio centro, confirmando-se a saída do Enzo, temos Amorim (que me deixa descansado) e Fariña (que não desconfio do seu talento mas da sua abnegação e capacidade de organização defensiva). Na época que passou usámos Enzo, titular indiscutível, Amorim, suplente de grande qualidade, e André Gomes, proveniente da equipa B com muito talento e pouca experiência embora com alguma falta de intensidade. Se Fariña for para JJ suficientemente bom poderia encontrar-se alguém na equipa B que faça o que André Gomes fez na época passada. Se não terá que se contratar alguém para esta posição.

domingo, 18 de maio de 2014

Por ti meu Benfica!

Como saí de Lisboa antes da venda de bilhetes para a final da Liga Europa e este ano não fui sorteado pela UEFA, não tinha bilhete para a final da Liga Europa, mas isso não me impediu de ir a Turim.

Fui de Paris no dia do jogo às 10:40, mais de 5 horas de viagem de comboio. Em Lyon sentou-se ao meu lado um gordo mal-cheiroso (ser gordo é importante porque a área a cheirar mal é maior que numa pessoa magra), foi ao meu lado todo o Sul de França, ainda pensei dar uns peidos para ver se não me cheirava tão mal mas, infelizmente, não estava com gases. Isto já me faria merecer a Taça, se fosse assim de Paris até Turim mereceria ser o capitão e levantar a Taça. Cheguei a Turim sem saber onde me dirigir, mas sabia que não deveria ser difícil orientar-me, fui para o estádio num táxi com outros benfiquistas vindos de Paris que nunca tinha visto e também procuravam orientação à saída da estação.

Cheguei ao estádio ainda sem bilhete, tinha apenas apalavrado com um benfiquista que descobri num fórum de adeptos do clube. Entrámos em contacto e encontrei-o com outros adeptos que frequentam o fórum. Como não tinha dinheiro nem consegui levantar ainda não lhe paguei, acertámos na boa-fé benfiquista, apesar de não nos conhecermos; cobrou-me pelo bilhete apenas o que lhe custou, porque como muitos outros não anda a tentar extorquir dinheiro a outros adeptos que querem ver jogos do Glorioso. Fiquei com o bilhete ainda sem certeza que ia entrar, era preciso identificação, deu-me uma cópia da identificação dele (que obviamente não sou eu... tenho cerca de menos 15 cm que ele..). Tentei entrar sem a tal identificação contando uma história que tinha preparado, não me deixaram entrar depois do revisor ter falado com o supervisor, mandaram-me esperar. Entretanto, outro benfiquista alertou-me para um revisor que estava a deixar passar tudo, mesmo ao meu lado e fui logo tentar com esse, em vez de ficar à espera, mesma conversa (ao lado do que não me deixou entrar) e deixou-me passar. Fiquei radiante. Não sei se toda a gente que tinha bilhete com nome de outra pessoa conseguiu entrar, mas nessa altura estavam a impedir algumas pessoas.



Jogo a sofrer com outros benfiquistas desconhecidos. Custou-me ser derrotado por esta maldição: a maldição do apito; expulsões perdoadas, penaltis perdoados e até no desempate por penaltis o apitador foi influente. Até em Espanha se falou mais disso na Comunicação Social que em Portugal. Essa maldição esteve bem presente, na outra mais falada não acredito, até em Boston a “curse of the Bambino” foi quebrada, a “nossa” também o será.

Pela primeira vez na história o SL Benfica atingiu a marca de 11 jogos europeus sem derrotas. Contando com este desempate por penaltis foi a primeira vez desde a derrota em 1963 em que estivemos em vantagem numa final europeia e a primeira desde a vitória em 1962 em que estivemos com uma desvantagem de 2 golos.

Gostei da forma como os adeptos se portaram nesta final, a equipa foi sempre apoiada e foi aplaudida (como devia) no final do jogo.

Saí do estádio desorientado, sem saber para onde ir, depois de algumas voltas à procura de um amigo que não encontrei, vi um grande grupo de pessoas à espera de autocarro, fiquei também à espera mesmo não sabendo para onde ia, mas se toda aquela gente estava ali não era certamente acaso. Eram na maioria benfiquistas, não entrei no primeiro autocarro porque vinha um segundo atrás. No primeiro entraram os benfiquistas, no segundo entrei eu e mais uns poucos; estava cheio de sevilhistas… fiesta moderada e eu ali caladinho a olhar. Segui sem saber onde sair, tendo em mente sair naquela onde saísse um grande grupo, até que vi a estação de comboio onde no dia seguinte deveria apanhar o comboio, saí para ter um ponto de orientação. Como não comprei estadia em lado nenhum, dei umas caminhadas pela cidade, fui beber um copo num bar, outro num restaurante que às 3:00 ainda estava cheio de gente a jantar e onde ainda estive com uns rapazes benfiquistas que foram de carro desde o Porto.

Pouco depois das 4:00 fui para a estação de comboios, apesar de só ter comboio às 17:00, é que ingenuamente comprei a viagem para a tarde para ainda ter tempo de ver alguma coisa da cidade… Na estação estavam uns quantos benfiquistas a dormir no chão e encontrei o Sr. Fernando que andava para lá meio perdido e me disse que em 60 e tal anos de vida nunca tinha estado como um sem-abrigo à porta de uma estação de comboios como esteve naquele dia. Foi de Paris de autocarro, com uma pessoa que nem ia para o jogo mas visitar familiares que moram perto de Turim, coxeava porque foi operado a um joelho há uns anos, também não tinha onde dormir e estava a pensar aninhar-se num canto, fui com ele até um café que eu sabia estar aberto a noite toda, porque ele estava cheio de frio, pois pensava que a estação fechava durante a noite e esteve na rua. Estava à espera do autocarro das 11:00 para fazer mais sei lá quantas horas para Paris. Vive em França há cerca de 40 anos e nunca vai regressar a Portugal porque tem a família em França, alguns já nem portugueses são, mas ele depois destes anos todos ainda faz isto tudo para ir ver o Benfica! Comprou RedPass há uns meses só para poder comprar bilhete para a final caso o Benfica se apurasse, aproveitou e foi ver o jogo com o Olhanense. Estive um bom bocado na conversa com ele. Ainda apareceram os benfiquistas com quem apanhei táxi para o estádio, um deles só vinha a Portugal passar férias, nunca viveu cá depois dos 3 anos, mas o clube dele é o Benfica. Outros estão emigrados há mais anos que aqueles que estiveram em Portugal, mas o Benfica ficou. Esta gente também não dormiu e até foram a pé do estádio para a estação. 

Na estação ainda estive com outro benfiquista que tinha conhecido no comboio e também andou lá a dormir pelo chão. Falávamos como se nos conhecessemos, mas só tínhamos estado alguns minutos juntos. Tentei ir no comboio das 7:00, o revisor não me deixou. Fui tentar mudar o bilhete noutra estação, não podia. Andei por lá a tentar dormir em bancos e escadas. Voltei à estação para tentar ir no comboio das 10:00 e depois de alguma insistência lá me deixaram, viagem de merda sem ter posição para dormir.

O SL Benfica é isto. É mais que um clube, é uma família, e sacrifício para o presenciarmos.

Custou-me mais perder esta final que a do ano passado. Foi-nos roubada e saber que isso não será tido em conta na lista de vencedores dói-me. Por dentro choro revoltado. Mas repetiria tudo o que passei, mesmo sabendo o resultado final. No ano passado disse que repetiria e pagaria mais para ver o meu SL Benfica numa final europeia. Este ano valeu ainda mais pela experiência que tive com a enorme família benfiquista. 

Os espanhóis nem souberam fazer a festa, em Turim até parecia que não tinha acontecido nada... Se fossemos nós a ficar com a Taça teria sido a loucura na cidade!


Agora é continuar de cabeça erguida porque hoje vou à festa do Jamor apoiar o meu SL Benfica. 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Maldição?!


No dia do 110º aniversário, o SL Benfica inaugurou uma estátua em homenagem a Béla Guttmann; é certamente uma homenagem merecida, no entanto, a meu entender a estátua deveria estar na rua, perto dos adeptos.  

É famosa a "maldição de Guttmann" sobre o SL Benfica, é frequentemente relembrada no mundo do futebol. Há até adeptos do SL Benfica que lhe guardam ressentimento, outros que querem perdão, mas o que é a maldição de Guttmann? 

Esta "maldição" é um mito do futebol, faz parte do folclore, até certo ponto ajudou a popularizar o SL Benfica. Já li sobre ela em muitos meios de comunicação social estrangeiros, quer quando se fala de Béla Guttmann, quer quando se fala de finais europeias do SL Benfica. 

Conhecido como "o Mago", Béla Guttmann sempre foi conhecido por ser controverso: nas decisões e nos comentários. Saiu o FC Porto para o SL Benfica, aparentemente, sem contactar os dirigentes do FC Porto, acabou por sair do SL Benfica também de forma abrupta. Voltou a ambos os clubes mas sem o sucesso que teve antes. Para o SL Benfica veio assinando um contrato com elevado prémio para a vitória na Taça dos Clubes Campeões Europeus, clausula pedida por si e não contestada devido à improbabilidade que aparentava em ser cumprida.


"Um treinador é como um domador de leões. Ele domina o animal, na jaula onde faz o seu espectáculo, enquanto tem autoconfiança e não demonstra medo. Mas no momento em que fica inseguro da sua energia hipnótica quando a primeira sombra do medo aparece nos seus olhos, ele está perdido," dizia. Sobre os seus empregadores, o húngaro uma vez declarou: "Durante a primeira temporada, o técnico trabalha calmamente; a segunda é mais difícil; e a terceira é fatal." Parecia levar este seu pensamento muito a sério nunca ficando muito tempo em nenhum clube, normalmente uma ou duas épocas. No SL Benfica, na primeira época venceu o campeonato, na seguinte voltou a vencer o campeonato e ainda foi campeão europeu, na época "fatal" voltou a ser campeão europeu. Este período já excedeu aquilo que para ele era razoável (foi o maior que passou em algum clube), até porque como ele disse "não conseguia treinar 11 comendadores" (referindo-se às honras que os jogadores recebiam), voltou, na altura da renovação, a tentar esticar a corda e pediu mais dinheiro e mais poderes no futebol do SL Benfica. A direcção do SL Benfica não cedeu perante as condições impostas por Guttmann e este saiu (já nem orientou a equipa que venceu a Taça de Portugal nesse ano). 

Na altura da saída disse que nem em 100 anos o SL Benfica voltaria a ser campeão europeu ou um clube português conseguiria ser bi-campeão europeu. Com o passar dos anos e com a perda de finais da TCCE por parte do SL Benfica (três nas 6 épocas seguintes) estas palavras passaram a "maldição". E nem mesmo com Guttmann, no seu regresso ao SL Benfica em 1965/66, esta foi quebrada. Com o passar dos anos, esta maldição parece ter-se alargado a qualquer final europeia do SL Benfica.

Era defensor do futebol atacante, foi um dos percursores do 4-2-4, dizem que foi quem levou esta táctica de jogo para o Brasil (que se veio a sagrar tri-campeão do mundo dessa forma).

Alguns anos depois de ter saído do SL Benfica o jornal A Bola fez uma entrevista imaginária com Béla Guttmann, utilizando frases proferidas por si, da qual destaco as seguintes partes:

"- Por que vectores passou o sucesso do Benfica de Guttmann?
- O segredo do êxito do Benfica não esteve na aplicação de teorias psicológicas mais ou menos ousadas e eficientes mas sim na estruturação da equipa segundo um modelo de jogo colectivo, tanto quanto possível perfeito.
(...)
- Quais os termos exactos da sua famosa maldição, que continua a dar muito que falar... ?
- Nem daqui a cem anos um clube português volta a ganhar duas vezes seguidas a Taça dos Campeões.
Foi difícil ser treinador do Benfica?
- Contra o Benfica, todos valem, ou fazem por valer, o dobro daquilo que efectivamente valem. É uma guerra santa.
- A mística do Benfica é apenas um mito?
- Só quem está lá dentro do Benfica é que pode saber o que é a mística. Eu, antes, já tinha ouvido falar na mística. Mas encolhia os ombros. Não sabia o que era. Francamente, até pensava que não fosse nada, que não passasse de uma simples e vã palavra. Agora, porém, que a conheci, senti e vivi, afirmo-lhe que ela existe. Não há nenhum clube do Mundo que possua mística igual à do Benfica. E é este, afinal, um dos grandes segredos dos seus êxitos e da sua força. 
- Não está a exagerar?
- Não. Tentarei explicar algumas das suas manifestações exteriores mais palpáveis. Veja, por exemplo, a sua massa associativa. Chove? Está frio? Faz calor? Que importa? Nem que o jogo seja no fim do Mundo, entre as neves da serra ou no meio das chamas do Inferno, por terra, por mar ou pelo ar, eles aí vão, os adeptos do Benfica, atrás da sua equipa. Grande, incomparável, extraordinária massa associativa!
- E os jogadores sentem esse clima?
- Nunca encontrei jogadores que sentissem tanto a camisola como os do Benfica. Mesmo que não sejam tecnicamente famosos, tornam-se futebolistas assombrosos e temíveis. É a mística do Benfica, compreende?
(...)
- Há fórmulas simples no futebol?
- O «passa, repassa e chuta» é indispensável para chegar ao golo. - Só isso? - Marca e desmarca. Se a bola não é nossa, marca; se a bola é nossa, desmarca. Este é o princípio, o princípio fundamental.
- Outro conceito...
- O sistema para os homens e não os homens para o sistema.
(...)
- Considera-se um treinador de ataque?
- Sempre me interessou mais que o ataque fizesse mais golos do que obrigar a defesa a não os sofrer. Não me desgosta nada que o adversário marque três ou quatro golos desde que a minha equipa marque quatro ou cinco...
(...)
- Não abre excepções, é sempre ao ataque?
- As equipas orientadas por mim não costumam jogar à defesa. Os bons resultados conseguem-se jogando ao ataque. Quanto muito tolero que se defenda o resultado se este for favorável e se cifrar na diferença mínima nos últimos dez ou quinze minutos do encontro. Mas só nessa hipótese.
(...)
- A sorte e o azar fazem parte do futebol?
- Não tenhamos dúvidas. Sem sorte não se conseguem bons resultados no futebol. Só com sorte nada se consegue. Essa sorte de que tanto se fala faz parte do futebol, é dele, pertence-lhe, tal são seus os golos, os pontapés de canto ou os penaltys. Não se podem dissociar. 
-E a sorte, como consegue?
- E preciso saber pela lutar pela sorte, ou antes, não nos esquecermos dela em todas as circunstâncias. Quando se está em «dia não» luta-se pela sorte; quando se está em «dia sim» basta aproveitá-la. Compreende senhor? Nada tem nada de complicado."


Foi um dos melhores treinadores da história do SL Benfica, foi que conseguiu os maiores feitos no clube, os seus conceitos marcaram o SL Benfica dos anos 60 e 70, é por isso que merece ser recordado, mais que por uma maldição que não existe. No entanto, mesmo que o SL Benfica ganhe esta final da Liga Europa se pode dizer que a maldição está quebrada, não apenas porque a maldição não existe, também porque se ganhar a competição não será campeão da Europa.

Que amanhã os nossos jogadores sintam a camisola como aqueles que Guttmann encontrou e que a nossa mística esteja bem presente.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

14 de Maio, dia talismã!

Foi com um grande catenaccio à portuguesa que eliminámos uma equipa italiana nas meias finais da Liga Europa. À partida o sorteio não tinha sido favorável, defrontar o campeão italiano nunca é fácil, quando nem tem sido fácil para o SL Benfica defrontar equipas italianas. Lembro-me quando nos anos 90 fomos eliminados 4 vezes por equipas italianas, num período de 5 épocas, sempre pelo menos nos quartos-de-final. Nos tempos de Jorge Jesus temos matado alguns destes borregos, no entanto no último confronto contra equipas italianas já tínhamos eliminado o SSC Napoli. 

À partida poderia ter sido desvantajoso jogar em casa a primeira mão, e a vitória 2-1 não era um bom indício para o desfecho da eliminatória, uma vez que nas últimas 3 semi-finais europeias o resultado do jogo fora tinha sido 0-1; duas delas com 2-1 em casa e consequente eliminação. Esse resultado é o mais comum nos jogos fora do SL Benfica em meias-finais europeias, aconteceu em 4 das 14. Fora conseguiu-se um maravilhoso 0-0, em sofrimento com 9 jogadores no final. O SL Benfica tinha sofrido golos nas últimas 4 meias-finais fora, apenas por 4 vezes (a contar com esta) não sofreu, este foi o terceiro 0-0 fora e a terceira qualificação com esse resultado.

Nesta eliminatória, ao contrário do que aconteceu nas outras meias-finais que disputou, Óscar Cardozo não marcou, apenas Eusébio (com 5) tem mais golos que o Tacuara pelo SL Benfica em meias-finais, está em igualdade com outras três lendas: José Águas, José Augusto e José Torres.

Lembro-me de muitas eliminatórias em que o SL Benfica foi melhor mas acabou eliminado, especialmente contra equipas italianas, desta vez a equipa soube defender o resultado e a vitória moral foi dos outros. É muito mais bonito quando a vitória a sério cai para o nosso lado. Vi nesta equipa o espírito de sacrifício que vi, e tanto admiro, no jogo de Mário João, o grande campeão europeu; as grandes equipas, as grandes equipas campeãs têm que ter estes jogadores que dão sempre um bocadinho mais que aquilo que parecem ser capazes. Esta equipa é campeã!


Jorge Jesus com três meias-finais disputadas é o treinador que levou o SL Benfica mais vezes a esta fase e irá igualar Béla Guttmann e Sven-Goran Eriksson com duas finais.

Agora vamos jogar a nossa 10ª final europeia, num duelo que repete a estreia europeia de ambas as equipas, na altura a vitória foi conquistada pelo clube espanhol. O Sevilla FC vai disputar a sua terceira final europeia, sempre na Liga Europa (Taça UEFA), só tem vitórias nas finais que disputou, no percurso até lá venceu sempre uma equipa portuguesa (este ano já venceram o FC Porto).

Vai ser a segunda final europeia que o SL Benfica disputa em Itália, a outra disputou-se em Milão contra o FC Internazionale (derrota por 0-1).

A final vai ser disputada a 14 de Maio, um dia que tem sido talismã para o SL Benfica, foi nesse dia que em 1994 vencemos 6-3 em Alvalade e em 2005 vencemos 1-0 na Luz ao Sporting CP, dois jogos decisivos para a conquista desses dois campeonatos. 

Este ano o SL Benfica disputou os seus 28ºs quartos-de-final europeus, 47,46% das épocas europeias, disputou as suas 14ªs meias-finais europeias, 23,73% das épocas europeias, irá disputar a sua 10ª final, 16,95% das épocas europeias. São números que colocam o SLBenfica entre os grandes da Europa. Apenas Real Madrid CF, FC Barcelona e FC Bayern München têm mais participações em quartos-de-final (não contando com a Taça das Cidades com Feira que não era organizada pela UEFA e não é reconhecida pela mesma, nesse caso a Juventus FC também teria mais quartos-de-final que o SL Benfica). O SL Benfica é o sétimo clube a chegar à décima final europeia, para que se perceba melhor a dimensão destes números, o Sporting CP tem menos uns quartos-de-final disputados que o SL Benfica tem finais, o FC Porto tem menos uns quartos-de-final disputados que o SL Benfica tem meias-finais.

Venha a décima!

sábado, 12 de abril de 2014

Jorge Jesus na Europa


É certo que Jorge Jesus tem vencido poucos títulos para o futebol que as suas equipas no SL Benfica jogam, mas os seus resultados têm colocado o SL Benfica num patamar elevado e estável, como não acontecia há muito.

Os resultados do SL Benfica de Jorge Jesus têm sido insatisfatórios na Liga dos Campeões, também devido às expectativas serem elevadas. Com excepção da sua primeira época, a equipa não tem começado a época com o fulgor que consegue atingir nos meses de Janeiro a Março, onde os seus resultados têm sido melhores e onde a equipa joga o futebol mais vistoso. É nesse período que o SL Benfica costuma jogar as eliminatórias da Liga Europa, ou Liga dos Campeões como aconteceu em 2011/12.

Neste momento o SL Benfica vai em 8 jogos europeus sem perder. A melhor série é do tempo do Eriksson a caminho da final da UEFA de 1983: 10 jogos. Jorge Jesus fez duas vezes 9, a última parada no ano passado em Istambul.

Perdeu-se, contra o Tottenham Hotspur FC, devido ao adormecimento da equipa, a hipótese de igualar a melhor série de vitórias europeias consecutivas: 6 Eriksson 1989/90. Jorge Jesus igualou a sua melhor série.

Com Jorge Jesus, o SL Benfica conseguiu atingir pela primeira vez 5 quartos-de-final europeus consecutivos, a melhor série era de 1991/92 a 1994/95. Esta foi a 28ª presença (47,46% das épocas europeias) do SL Benfica em quartos-de-final europeus. O SL Benfica vai jogar a sua 14ª meia-final europeia (23,73% das épocas europeias), será a 3ª com Jorge Jesus como treinador, o primeiro a consegui-lo no SL Benfica. 

Com Jorge Jesus, o SL Benfica venceu pela primeira vez na Alemanha (e já repetiu), venceu na Holanda 45 anos depois, conseguiu pela primeira vez vencer 4 jogos europeus consecutivos fora (série em decurso).

O SL Benfica é o clube que tem mais vitórias e mais golos marcados na história da Liga Europa, pode parecer fácil por ter participado em 4 das 5 edições, no entanto, por exemplo, o nosso maior rival histórico participou em tantas edições como o SL Benfica, jogando sempre pré-eliminatórias e fases de grupos (onde se apanham equipas mais fracas) e não conseguiu o registo do SL Benfica que entrou 3 vezes na fase a eliminar (onde se apanham as equipas mais fortes). Como o nosso maior rival há mais.

É certo que ninguém teve mais oportunidades que Jorge Jesus para conseguir os números que apresenta, apenas Eriksson, com 39 jogos, tem mais jogos europeus no SL Benfica que Jorge Jesus tem vitórias. No entanto, não seria qualquer treinador a colocar o SL Benfica neste patamar de qualidade. Esperava-se mais na Liga dos Campeões, por vezes não teve a coragem de abordar os jogos com o estilo que lhe trouxe tantas vitórias, mas os valores globais são bons.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Que não nos calhe... o Valência

Oiço muita gente dizer, “Epá, espero que não nos calhe a Juve”. Ora bem, para mim é precisamente o inverso. Eu quero ganhar a Liga Europa e a Juventus é, na minha opinião, a equipa mais forte das três possíveis para esta meia final. Assim, e porque a final será em Turim, que venha a Juve já enquanto podemos fazer duas mãos jogando com esses italianos em igualdade de circunstâncias. Se é que é possível jogar com a Juve em igualdade de circunstâncias! É como dizer que o fc porto tem ganho tudo limpo nos últimos trinta anos! Enfim, esquemas à parte, parece-me que equilibraríamos melhor a eliminatória se pudéssemos jogar com eles cá e lá em vez de jogar só lá que é o que vai acontecer se os encontrarmos na final.

Por outro lado, uma final é uma final. Ou seja, é sempre bom ir apanhando equipas teoricamente inferiores para facilitar o acesso a estágios avançados das competições e aí poder discutir títulos e troféus. Neste sentido, que venha o Sevilha que é, notoriamente, a equipa menos apetrechada destas meias. Atenção, não estou a dizer que vão ser favas contadas se nos calhar o Sevilha, estou apenas a dizer que me parece que o Benfica é superior a esta equipa e que esta é a equipa menos forte das quatro apuradas. Há, ainda, duas outras razões que me levam a querer o Sevilha nestas meias. A primeira é que Sevilha fica a umas curtas quatro horas de viagem de carro, podendo ser uma opção ver os dois jogos da eliminatória apoiando os nossos jogadores a 100 %. A segunda é defender a honra dos nossos compatriotas a norte que foram cilindrados e humilhados na cidade andaluz. Bom, talvez não seja bem isso! Talvez seja mais mostrar àquela gente da fruta e do café com leite o que é uma equipa a sério e como se ultrapassa com certa comodidade um adversário acessível e, principalmente, como não ser goleado pelo nono classificado da época anterior no país vizinho.

Quanto ao Valência, não encontro razões para os querer enfrentar e aquela garra que lhes permitiu dar a volta a uma eliminatória com três golos de atraso pode muito bem ser canalizada para outro adversário que não o Glorioso. Assim, que não nos calhe o Valência!

Entretanto apreciem mais uma vez o jogo de ontem, agora em holandês :)

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Prelúdio de uma vitória anunciada

O Benfica é isto, é "GANHAMENTO". Sabedoria popular e grandiosidade juntas numa só palavra!
Honra seja feita a estes adeptos que se deslocaram à Holanda, como já antes tinham ido a Londres, e apoiaram o nosso clube de tal forma que foram audíveis pela TV. Honra também aos nossos jogadores e treinador que não se deixaram cair na ratoeira do favoritismo e foram consistentes, fazendo por merecer esta vitória. 


Carrega Benfica, a caminho das meias.

terça-feira, 18 de março de 2014

UEFA Youth League vs NextGen

O Luís Freitas Lobo e os comentadores da Eurosport dizem que havia mais qualidade na NextGen do que há agora na UEFA Youth League. Parece-me estranho, para isso ser verdade ou a geração anterior era muito superior à actual ou as formações dos clubes participantes na NextGen piorou da época anterior para a actual.

Participaram nas duas edições da NextGen 25 clubes. Na edição deste ano da UEFA Youth League participaram 32, tendo 14 participado na NextGen. Ou seja, ficaram 11 clubes da NextGen de fora: 

- 2 da "forte" formação norueguesa (!!!!, só me pergunto onde andam esses jogadores noruegueses...); 
- o Sporting CP (que como se sabe não teria direito desportivo a participar, pois foi terceito classificado no campeonato nacional); 
- o PSV (o campeão júnior é o SC Feyenoord, nos anos anteriores o AFC Ajax); 
- saem 4 clubes do exagero que eram os 6 clubes ingleses (na NextGen não estava o Manchester United que é conhecido por ter historicamente a melhor formação de Inglaterra, nem o Fulham FC que era o campeão e ainda é... critério estranho na escolha das "melhores academias"), 
- o Athletic C Bilbao (que nunca ficou num dos dois primeiros lugares do campeonato, nos últimos 20 anos ganhou a Taça de 2010, entrou o Real Madrid CF que venceu o campeonato no mesmo ano e no último ano ganhou a Taça); 
- o Fenerbahçe SK (quarto da liga, o Galatasaray SK é pior, curiosamente era a melhor equipa quando não era convidado para a NextGen...); 
- o FC Internazionale (em Itália há muita alternância mas o FC Internazionale é historicamente um dos melhores); e 
- o VfL Wolfsburg (este sim, campeão no seu país). 

Ora vimos que dos 25 clubes da NextGen, 14 estão na UEFA Youth League. Vamos analisar a sua prestação:

PSG FC - quartos-de-final, eliminado; 
Manchester City FC - quartos-de-final;  
Chelsea FC - quartos-de-final, eliminado;  
FC Barcelona - quartos-de-final;  
Arsenal FC - quartos-de-final;  

CSKA - oitavos-de-final;  

AFC Ajax e The Celtic FC - eliminados com 3 pontos e 4 pontos, no grupo com FC Barcelona também da NextGen em primeiro; 
Olympique de Marseille e BV Borussia 09 Dortmund - 3º e 4º no grupo com o Arsenal FC também da NextGen em primeiro;
FC Basel - eliminado com 1 ponto, no grupo com Chelsea FC também da NextGen em primeiro; 
RSC Anderlechtois e PFC Olympiacos - 3º e 4º no grupo com PSG também da NextGen, os três juntos marcaram 16 golos, o SL Benfica do mesmo grupo marcou 15 e fez 14 pontos; 
Juventus FC - 3ª no grupo atrás de Real Madrid CF e FC Copenhagen que não participavam na NextGen. 

Ora desses 14 clubes que participaram na NextGen e estão na UEFA Youth League, no ano passado 5 estiveram nos quartos-de-final e 9 nos oitavos-de-final na NextGen. 

Vimos então que 14 clubes dos 25 da NextGen estão na UEFA Youth League, que a maioria tinha relevância na NextGen, que os clubes que a maioria dos que ficaram de fora não teria direito desportivo para participar numa competição com selecção por mérito. É fácil de perceber que o critério de selecção da NextGen é tão dúbio (ou mais) que o da UEFA Youth League 

No entanto, o Freitas Lobo e os comentadores da Eurosport dizem que havia mais qualidade na NextGen, quando alguns clubes que aí participavam fizeram prestações fracas na UEFA Youth League... Ou seja, aquelas 14 equipas que jogavam na NextGen perderam claramente qualidade e jogavam melhor por estarem na NextGen, uma vez que algumas das seleccionadas "melhores escolas de formação da Europa" foram fracas na UEFA Youth League. Isto aconteceu, por exemplo, com o AFC Ajax - que é tida como a melhor formação da Europa -, mas neste momento, assim como outros, não estão assim tão fortes, no entanto, participariam sempre na NextGen.

Cheira-me a saudosismo da forte formação norueguesa!

O que a NextGen diz é que se devem escolher os que se acham que são os melhores, eram sempre os mesmos convidados, se a competição tivesse sido criada nos anos 70 estariam lá o AS Saint-Étienne e o Borussia VfL 1900 Mönchengladbach e nunca saíam, mesmo tendo caído em declínio há muito tempo. Apesar desse sistema perpetuar a hegemonia das equipas convidadas, uma vez que como estão na competição é para lá que os melhores querem ir, logo seriam sempre esses a ter melhor formação. Para "the quality of each club’s academy" ser um critério válido para a escolha da principal competição de Academias da Europa então têm que definir muito bem o que é "the quality of each club’s academy". Parece que a NextGen não cumpria o seu próprio critério.

O sistema da UEFA Youth League é de teste e convidaram as formações das melhores equipas da Europa, é um critério mais válido (parece-me a mim) que convidar as formações que talvez sejam as melhores da Europa (sendo que algumas já não o são ou nunca tivessem sido, a UEFA Youth League mostrou-o). Na UEFA Youth League, estão equipas de mais países. E incentiva os melhores clubes da Europa a ter boa equipa na formação, porque vão participar numa competição onde ninguém quer fazer má figura. Todos os anos vão equipas diferentes, ao contrário da NextGen em que o incentivo é sempre para os mesmos.

Há quem goste de participar em competições por ser convidado, desta vez os convidados foram o campeão e vice-campeão nacional, paciência!